Holiste Dia: Quatro anos de crescimento

Holiste Dia comemora 4 anos de crescimento

O Holiste Dia completou, no último mês de setembro, quatros anos de funcionamento.

Ao longo desses anos, o HD vem cumprindo com o seu objetivo de promover a recuperação de seus pacientes, priorizando o restabelecimento da autoestima, da autonomia funcional e das suas atividades cotidianas, que foram perdidas em decorrência do transtorno mental.

Para Ueliton Pereira, psicólogo e coordenador do Holiste Dia, o diferencial desse espaço está na realização de um trabalho direcionado por um plano terapêutico individualizado, de modo a atender às demandas e necessidades específicas de cada paciente. “Trabalhamos com grupos e oficinas terapêuticas, mas sem desconsiderar a singularidade do indivíduo”, afirma.

 

Socialização como parte do tratamento

A equipe do Hospital Dia em conjunto com os pacientes realizou uma festa em comemoração ao aniversário de 4 anos. Na oportunidade, foi exibido um filme idealizado e produzido pelos próprios pacientes, com relatos das experiências deles vividas durante o período no HD. “Eles puderam expressar suas emoções, relatando suas experiências de vida e evidenciando a função do HD para cada um deles, reconhecendo a importância e o lugar do tratamento em suas vidas”, conta Ueliton Pereira.

Para Lívia Brandão, terapeuta ocupacional do Holiste Dia, “é importante frisar que, para além do momento de lazer e festejos, essa é uma atividade terapêutica que envolve todos os pacientes e nossa equipe. Os técnicos estão a todo momento atentos às reações despertadas durante a atividade, filtrando aquilo que pode ser explorado terapeuticamente em benefício do paciente”.

Outra ferramenta utilizada com intuito de explorar a socialização são as atividades externas. Elas têm como objetivo explorar o “território” em que os pacientes estão inseridos, trazendo ganhos terapêuticos ao tratamento. “Idas a cinema, praia, teatro ou museu não têm o objetivo de serem simples atividades de lazer.  Nessas atividades, fazemos com que os pacientes se sintam inseridos na comunidade, um mundo que era desconhecido para alguns ou esquecidos para outros”, diz Ueliton Pereira.

Recentemente, os pacientes do HD tiveram a oportunidade de conhecer uma hamburgueria gourmet e de realizarem um piquenique na praça como comemoração da chegada da primavera.  “Empregamos este tipo de atividade como ferramenta de integração social e intervenção, de acordo com as possibilidades de cada um.  Consideramos de extrema importância a autonomia que é promovida durante estes passeios, como por exemplo a gestão financeira, a escolha de suas refeições, socialização, bem como diversão”, afirma Nadja Pinho, musicoterapeuta do Holiste Dia.

Para Lívia Brandão, “momentos como estes favorecem uma sensação de bem-estar e promovem a qualidade de vida. Entendemos que hábitos de lazer são importantes condutores para uma vida saudável e ativa, além de serem essenciais no processo terapêutico”.

Outro aspecto importante trabalhado nas atividades externas é o exercício da cidadania. “Aproveitamos o piquenique na praça para demonstrarmos um compromisso de conscientização sobre a importância da preservação e do cuidado com o meio ambiente, plantando mudas de girassol. Para o paciente, compreender e fazer parte disso é muito enriquecedor como indivíduo e cidadão”, ressalta a terapeuta.

 

Resultados alcançados

Nesses quatro anos, o trabalho desenvolvido pela equipe de profissionais multidisciplinar trouxe grandes avanços na qualidade de vida de seus pacientes. Segundo Nadja Pinho, “o amparo e o estímulo a autonomia dos nossos pacientes, possibilitaram a eles escrever e reescrever seus percursos de vida. Alguns retomaram suas rotinas, outros continuam conosco ainda nesta caminhada”. 

“Os pacientes encaminhados ao Holiste Dia são aqueles que ainda necessitam de algum suporte e vínculo institucional. Nossa missão é prepará-los para que possam se tornar pessoas ativas e produtivas, capazes de cuidar de si mesmas, com ganhos em sua própria qualidade de vida e dos que estão ao seu redor”, explica André Gordilho, psiquiatra e médico responsável pelo Holiste Dia.

Comments are closed.