Acompanhamento Terapêutico | Vídeo

O Acompanhamento Terapêutico (AT) é uma importante ferramenta clínica no cuidado de pessoas com transtornos mentais, principalmente nos casos onde o paciente apresenta dificuldades de ressocialização.

Esse é o tema do terceiro vídeo da nossa websérie Desmistificando a Saúde Mental, onde nossos profissionais abordam os diversos aspectos da saúde mental. Neste vídeo, Cláudio Melo, Itatiara Xavier e Isabel Castelo Branco explicam a proposta do AT e como ele se integra em um programa de tratamento do transtorno mental.

 

A PROPOSTA DO ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO

“A proposta do AT é que a gente possa estar mais próxima do sujeito, por um tempo maior, fazendo uma intensificação do cuidado dessa pessoa.  Podem ser uma vez na semana, como podem ser todos os dias, sem delimitação de horário, mesmo à noite ou no final de semana.  A proposta se estende à necessidade do sujeito e não a um quadro pré-definido por um consultório ou instituição.  É a necessidade daquele sujeito, naquele momento”, explica Itatiara Xavier.

 

CONFIRA O VÍDEO SOBRE ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO

 

RESPEITO E AUTONOMIA DO SUJEITO

Faz parte do trabalho do AT perceber o indivíduo como uma pessoa que tem características de personalidade e demandas particularidades.  Não é trabalho do AT tentar fazer com que o sujeito pense e aja de acordo com um modelo predefinido, adotando um comportamento padrão. “O trabalho do AT busca ajudar o sujeito a fazer laços sociais sem negar suas particularidades, suas características ou seu potencial”, defende Cláudio Melo.

Muitas vezes o adoecimento limita o sujeito em sua dinâmica ou papeis sociais, seja nos estudos, trabalho, na convivência em família ou em suas tarefas do dia a dia. “O foco sempre vai ser a autonomia do sujeito.  O AT vem para tentar resgatar, para potencializar, para reinserir esse sujeito dentro dos seus papeis e funções”, acrescenta Itatiara Xavier.

Isabel Castelo Branco enfatiza a importância de acreditar na busca pela autonomia do sujeito, trabalhando para que ele reconstrua seus laços sociais: “Algumas vezes, esse sujeito está isolado, ele não se comunica mais com o mundo por conta de seus sintomas.  O AT vai com muito cuidado, sem ser invasivo, convidar esse sujeito a reviver e reconstruir seu funcionamento.  É possível resgatar o sujeito, é possível fazer ele compartilhar situações que exigem habilidades sociais. ”

 

DESMISTIFICANDO A SAÚDE MENTAL | WEBVÍDEOS

Desmistificando a Saúde Mental é uma série de webvídeos produzida pela Holiste, que traz a experiência de nossa equipe multidisciplinar para esclarecer pontos fundamentais da psiquiatria e da saúde mental.

No projeto inicial, abordaremos temas diversos em torno da saúde mental: Hospital Dia, Internação Psiquiátrica, Depressão, Esquizofrenia, entre outros.

Saiba mais sobre o projeto.

Confira os outros vídeos da série: HOSPITAL DIA e TRANSTORNO BIPOLAR

Assine nossa newsletter e inscreva-se no nosso canal do Youtube para acompanhar os próximos vídeos.

 

1 Comment

  1. Marcelo Luiz Silva disse:

    Eu faço tratamento de epilepsia, mais agora estou com este AT , pois fui afastado do serviço e mais sou empregado ainda, mais fico deprimido em casa, sem fazer nada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.