Blog / Revista Holiste

O prazer que vem do paladar | Revista Holiste

Revista Holiste 03/09/2018

Mesmo não sendo capaz de curar qualquer tipo de transtorno mental, uma boa alimentação é primordial para melhorar a disposição física e psicológica dos pacientes idosos. Assim, seguindo sua proposta terapêutica de melhorar a qualidade de vida dos seus pacientes, a Holiste conta com um programa nutricional especialmente preparado para os idosos.

De acordo com a nutricionista responsável, Joyce Souza, o trabalho vai além de nutrir o paciente.  O cardápio exclusivo, composto por seis refeições diárias, vai desde o desjejum até a ceia. As preparações são compostas de alimentos ricos em vitaminas, minerais e fibras, de acordo com as necessidades diárias (DRI´s) desta fase da vida. “Em alguns casos, quando necessário, prescrevemos mais refeições. Por exemplo, quando o paciente está em um processo de depressão grave, onde não consegue se alimentar com a dieta branda (alimentos consistentes) oferecemos uma dieta inicial de consistência pastosa à líquida com até oito fracionamentos por dia. Desta forma, conseguimos não só evitar a perda de peso, mas a manutenção e até um ganho de peso adequado a sua faixa etária”, revela Joyce Souza.

Outro ponto importante apontado pela nutricionista está associado aos eventos sociais, quando os alimentos típicos aos festejos, a exemplo do São João, podem ser facilmente adaptados para o idoso hipertenso ou diabético, não os excluindo das festividades tradicionais. “Aqui na Holiste, por exemplo, o paciente não deixa de curtir a festa por conta da hipertensão ou diabetes. A nutrição deve estar atenta à demanda e resgatar algum hábito alimentar que este paciente tenha, para que se sinta confortável em sua estadia na internação”, afirma.

Assim como o olfato, o paladar é um dos sentidos capazes de despertar memórias e promover sensações de bem-estar e, nesse ponto, a nutrição, mais uma vez, entra como um forte aliado no processo de recuperação do paciente.

Sabemos que a alimentação não tem o poder de curar nenhum tipo de transtorno psiquiátrico, mas pode fazer com que o paciente tenha o simples prazer de levantar da cama para realizar a refeição que ele estava desejando no momento. Um bolo de carimã com café no final da tarde, por exemplo, pode remeter, para um idoso, uma lembrança da infância, o que neste momento pode ser um excelente coadjuvante em seu tratamento”, finaliza a nutricionista.

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar