Blog / Notícias

FALAR PALAVRÃO: SIM OU NÃO?

Notícias 06/05/2021

Em entrevista ao UOL, a psicóloga Bárbara Santos explica que falar palavrão pode ser uma importante forma de expressar as emoções.

Falar palavrão é bastante comum em nossa sociedade, funcionando, inclusive, como uma ferramenta de alívio da dor e do estresse. Há quem defenda que xingar pode nos ajudar a lidar melhor com situações desconfortáveis do dia a dia.

Talvez por isso, mesmo que reprimam, os palavrões estão presentes em praticamente todas as civilizações:

“Em qualquer idioma, palavrões são considerados palavras sujas e geralmente reprimidas na linguagem”, afirma Bárbara Santos, psicóloga e psicanalista na Holiste Psiquiatria. Por essa razão, é mais comum usar expressões fortes em momentos de grandes explosões emocionais ou de energia represada, como quando sentimos raiva ou dor física.

Curiosamente, muitos deles remetem à sexualidade humana e a fluidos corporais – assuntos que são tabus para grande parte das pessoas

“O propósito de usar um palavrão é expressar uma emoção de grande intensidade, e o xingamento deixa isso bem claro quando é usado”, aponta Bárbara.

 

Sabendo usar, por que não?

Algumas situações são propícias para o uso de palavrões, e saber entender isso é fundamental para se relacionar em sociedade com outras pessoas.

Assim, não é necessário riscar os palavrões do seu vocabulário. A psicóloga salienta ainda que é importante entender em quais situações e com quem pode se expressar assim:

“Do contrário, podemos ser reprimidos, punidos e até excluídos do convívio por ofender alguém com essa forma de expressão”, finaliza Bárbara Santos.

Matéria orginalmente publicada em:
https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2021/04/30/falar-palavrao-alivia-a-dor-e-pode-ser-sinal-de-inteligencia-entenda.htm

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar