Blog / Notícias

PRESSÕES E TRANSTORNOS LIGADOS AO TRABALHO

Notícias 01/06/2021

Em entrevista à Globo, o psicólogo Ueliton Pereira fala sobre esgotamento profissional e outras doenças psíquicas que podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho.

A sobrecarga de trabalho, associada a outras pressões profissionais, pode desencadear um esgotamento mental conhecido como Síndrome de Burnout. Mas, esse não é o único transtorno relacionado ao ambiente corporativo: depressão, transtorno de ansiedade e até mesmo síndrome do pânico podem ser desencadeados por condições de trabalho insalubres.

De acordo com o psicólogo, psicanalista e Diretor Técnico da Holiste, Ueliton Pereira, esse é um assunto antigo, mas foi intensificado durante a pandemia da Covid. Com a paralisação das atividades em diversos setores, metas e planejamentos acabaram indo por água abaixo:

“Muitas pessoas adoecem no trabalho por causa do estresse acumulado, por um investimento dentro do ambiente, mas sem conseguir alcançar suas metas, sem um direcionamento ou conversa com seu líder; e isso faz com que muitos trabalhadores acabem adoecendo”, destaca.

Agravamento na pandemia

Uma pesquisa da Fiocruz que analisou o impacto do isolamento social na saúde mental de trabalhadores essenciais, no Brasil e na Espanha, mostrou que mais de 47% dos trabalhadores desenvolveram sintomas de ansiedade e depressão. Mais da metade dos entrevistados sofre com as duas patologias ao mesmo tempo.

A pandemia potencializou muitos desses adoecimentos profissionais simplesmente por não permitir um extravasamento, com momentos de prazer, encontrar os amigos fora do trabalho, e desarrumando uma rotina previamente estabelecida. Ueliton comenta que quando as pessoas não conseguem cumprir um roteiro que haviam determinado, há o risco de desenvolverem quadros ansiosos, depressivos e até crises de pânico.

“Isso faz com que elas criem demandas e expectativas. Então, quando se frustram, não conseguem dar conta e adoecem, empurram a situação com a barriga… e muitos ainda têm dificuldade de procurar ajuda”, afirma.

Principais transtornos mentais relacionados ao trabalho

Abaixo, listamos os problemas mais comumente encontrados no ambiente corporativo:

Síndrome de Burnout – Caracterizada por um esgotamento laboral, a síndrome de Burnout é reconhecida como um transtorno, de caráter depressivo, ligado diretamente à vida profissional do indivíduo. Seus sintomas podem ser estresse excessivo, irritabilidade e inquietação. A síndrome faz com que o indivíduo apresente comportamentos contrários ao processo de evolução profissional.

Transtorno de Ansiedade Generalizada – caracterizado por uma preocupação excessiva com tudo o tempo inteiro, antecipando angústias com problemas que ainda não aconteceram. Essa situação causa sofrimento e prejuízo para o indivíduo. Nesse estágio, a pessoa sente tanta ansiedade que se sente paralisada diante das tarefas diárias, necessitando de acompanhamento profissional.

Depressão – Considerada uma doença multifatorial, a depressão pode apresentar diversas faces, o que cria dificuldades para que pessoas leigas consigam identificá-la e buscar ajuda profissional. É uma doença que apresenta sintomas bem definidos e duradouros, como por exemplo desânimo, sentimento de culpa, insônia, perda de apetite, perda de peso, perda do desejo sexual e falta de energia para realizar atividades. Mas, para algumas pessoas e grupos específicos (como idosos, por exemplo), os sintomas podem ser completamente diferentes: ganho de peso, adoção de comportamentos de risco, etc.

A importância da responsabilização

A projeção dos problemas no outro é um sintoma importante da doença, de acordo com o psicanalista. Ele explica que a pessoa nunca consegue se ver em primeiro plano, e sempre os outros estão errados. Ueliton aponta que vale a pena refletir: “será que é o outro ou sou eu?”.

“Não dá para projetar nossas responsabilidades no outro. A pessoa adoece devido a uma demanda incessante que se tem, e ao ambiente externo. Mas, o movimento de chegar a um adoecimento psíquico só ocorre porque a pessoa se permitiu chegar a essa trilha; não procurou uma ajuda anteriormente”, aponta Ueliton.

E como evitar a frustração profissional?

A frustração é um sentimento que surge quando se cria muitas expectativas a respeito de algo. Lidar com a frustração pode ser muito difícil, principalmente quando a pessoa já está adoecida, porque afeta intensamente a motivação e o desempenho profissional. O especialista orienta a reduzir as expectativas e lidar com o que é real e palpável, criando metas para alcançar os objetivos:

“Aquele que está sempre em busca do reconhecimento do outro nunca vai conseguir dar um passo adiante, de se reconhecer primeiro e continuar construindo, fazendo seu trabalho”, salienta.

Apesar disso, é importante entender que as frustrações também fazem parte da vida, no sentido de que nem sempre as coisas serão como você gostaria. Ueliton reforça que “o importante é sempre estar bem consigo, mediante seus próprios critérios. O que o outro disser como reforço positivo será sempre um complemento, e não uma função primordial”, finaliza.

 

Matéria veiculada em: https://globoplay.globo.com/v/9482597/

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar