Blog / Notícias

CARREIRA PROFISSIONAL | A pressão da escolha

Notícias 01/11/2019

Em entrevista ao programa Band Mulher, a psicóloga Alice Munguba falou sobre a pressão que os jovens sentem em meio à escolha da carreira profissional.

A escolha da carreira certa é motivo de dúvidas e incertezas para boa parte dos jovens. Aproximadamente 60% deles não sabem que profissão querem seguir.

Com o mercado de trabalho mais dinâmico e com novos paradigmas em suas relações, associado a uma geração que vivencia uma transformação nos valores sociais, é comum que a ideia de carreira tenha sofrido mudanças.

Alice Munguba explica que nesse novo momento é normal que existam as mudanças de cursos e carreiras, porque o autoconhecimento geralmente só vem depois de um processo de amadurecimento pessoal.

“A possibilidade de se autoconhecer é gradativa, e muitas vezes se confirma pela troca de experiências. Hoje, vivemos em um momento de mudanças sociais, e isso muda a forma dos jovens pensarem.  Muitos pensam em viajar primeiro, para poder experimentar antes de se decidirem sobre qual caminho seguir”, destaca a psicóloga.

Confira a entrevista completa:

Conflitos na escolha

Em meio a essa dúvida, muitos jovens escolhem a própria profissão “inconscientemente”, na busca pelo reconhecimento da família. A pressão dos pais pode ser o gatilho para o início desse conflito existencial/ profissional.

Alice destaca que, geralmente, esse é o momento onde muitos jovens iniciam uma terapia, por escolha deles ou dos pais, não apenas para auxiliar sua orientação vocacional, mas como viver essa escolha.

“Durante a terapia, o psicólogo busca entender com a própria fala do indivíduo o que da personalidade dele está em jogo quando ele está vivendo conflito, ou quais seus interesses na hora do lazer, porque é preciso ter um interesse espontâneo para determinar essa decisão”, afirma a especialista.

Planejamento profissional

Em meio a esse processo de escolhas, o jovem precisa traçar seu planejamento de carreira, estando atento às oportunidades, bem como investindo em cursos de acordo com as áreas de habilidade.

Entretanto, Alice enfatiza que “é uma escolha que o jovem fez naquele momento, e é preciso sustentá-la, sabendo que depois ele vai dar outro passo”.

Por isso, é fundamental ter em mente a necessidade de lidar com possíveis frustrações da escolha, durante a caminhada profissional. E, caso a decisão tomada não o torne feliz no futuro, não há nada de errado em buscar um novo caminho. Além disso, com o suporte da família, que também é fundamental, evitando um sofrimento ainda maior para o jovem.

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar